quinta-feira, 5 de maio de 2011

Atividades

Quarta-feira é dia da Helena fazer PEKIP. Este é o nome de um curso que está bem na moda aqui na Alemanha. Significa "programa pai e filho de Praga" e foi desenvolvido por um psicólogo tcheco para estimular as brincadeiras entre pais e filhos. Queria muito ter feito este curso com a Sophia também, porém, no primeiro ano de vida dela nós quase não paramos em casa... Foram algumas semanas na Bahamas e em Miami, alguns meses em São Paulo e, assim, como teriamos que faltar muito, decidi que não faria o curso. Comprei um livro, para poder praticar algumas coisas com ela mesmo assim, mas fiquei triste por não termos feito este curso juntas (mas compensamos com natação e com um outro curso para bebês, né Sophia?).
Agora, como não temos nenhum plano de viagem em vista (pelo menos não a trabalho do maridão, como da última vez), resolvi iniciar o curso com a Helena.
Uma das ideias do programa é deixar os bebês bem à vontade para se auto-descobrirem. Por isso, eles brincam peladinhos (e as mamães passam muuuuuito calor, pois a salinha é híper aquecida, para nenhum bebê passar frio)! Geralmente o curso começa com algumas musiquinhas iniciais, em que cada criança é cumprimentada. Depois as mães se levantam, com os bebês no colo, e conversam entre si, enquanto os nenéns podem olhar uns pros outros e para as outras mães também. É legal que, apesar de todas as crianças terem a mesma idade (no máximo um mês de diferença), elas são tão diferentes! E já dá pra ver a "personalidade" de cada uma.
Em seguida vai-se para o tema do dia. Por exemplo, na primeira vez o tema era "deixando a criança de barriga pra baixo". A maioria dos bebês não é muito fã desta posição (a Sophia, nesta idade, berrava se tentássemos deixá-la nesta pose), então, a instrutora ensina algumas maneiras diferentes de colocar as crianças de barriga pra baixo, de forma que eles se sintam mais seguros e não chorem tanto.
Hoje o tema foi "massagem". Minha baby adorou ser massageada!  Ficava esticando a perninha como quem diz: mais mamãe! Muito fofa! Fiquei bem feliz que hoje deu tudo bem certo pois na primeira vez ela só chorou (pois além de ter estranhado o ambiente, estava com sono...) e na segunda vez só dormiu, então acho que lentamente ela vai começar a participar mais da aula.
Outra coisa legal do pekip é que cada bebê é respeitado na sua individualidade. Então se um neném quer mamar a aula toda, ele mama. Se está com sono e quer dormir a aula toda, ele dorme. A instrutora sempre diz para não acordar. E ela fica observando o rostinho de cada um, interpretando o que cada um parece estar sentindo.
Ah, continuando a explicação sobre o andamento da aula: depois do "tema do dia" costuma haver um espaço para perguntas, pois cá entre nós, ser mãe é viver com perguntas na cabeça, né?? E como na Alemanha pediatra não costuma esclarecer bem as nossas dúvidas (mas isto é assunto para um outro post), é muito bom poder contar com alguém ou algo como o pekip para isso. Depois das perguntas e respostas tem, para finalizar, novamente um momento musical em que se cantam canções de despedida.
Enfim, estamos gostando bastante, vamos ver se vai continuar legal!

Hoje também levei a Sophia pela primeira vez a um coral. Alguns amiguinhos dela da escolinha já frequentavam e ela vinha me pedindo pra ir também. Os ensaios são realizados numa igreja perto da escolinha dela (mas não a igreja, católica, da escolinha e, sim, uma igreja luterana), no alto de uma torre. Achei tão legal, parecia que ela estava indo para Hogwarts ;-) e tinha até vassouras num canto hehehehe!
A aula em si eu não pude ver, pois a professora pede para os pais sairem da sala. Dá para entender, quando estou junto a Sophia costuma não ter olhos pra mais ninguém :-) Só sei que ela voltou entusiasmadíssima da aula! Disse que tocou triângulo e tambor e que a professora, que segundo ela subiu e desceu duas vezes da torre, tinha até um gato! Vai saber como era a aula, né? Infelizmente, nesta idade ela ainda não me dá muitos detalhes...
Mas foi fofo ver como ela é querida pelos amiguinhos (só meninos, no coral ela é a única menina). Uma das mães pediu ao filho que deixasse a Sophia "ler" com ele uma apostila que eles têm. Só sei que nisso dois outros meninos ouviram e ficavam falando: não, a Sophia vai ler comigo. Não, comigo. Comigo! Uma briga só, hehehhe. Daí, o Samuel (um menino meio terrível, mas que a Sophia AMA, que deu vááááárias mordidas nela quando entrou pra escolinha) resolveu a pendenga: Sophia você vem comigo, e saiu puxando-a pelo braço e subornando-a com almôndegas! Não se pode dizer que ele não sabe o que quer. Já em tenra idade.

7 comentários:

Kathe disse...

Uau que interessante esse lugar que vc leva a Helena, parece que a cada dia surge uma novidade por aí.
E quanto ao sucesso da Sophia, não se poderia esperar outra coisa dela não ?
bjs.

Fabiana disse...

Adoraria uma aula como essa com a Joana... deve ser mesmo uma delícia!
Beijos

Fabiana
http://2-ao-quadrado.blogspot.com

Camilla Brandel disse...

Parece muito legal esse curso, mesmo! Aliás, no Brasil não tem praticamente nada pra se fazer com crianças, né? Incrível como falta coisa! Assim que mudei pra cá achei muito legal de ver que sobram opções! Todos os dias eu escolho o que fazer com o Nathan.
E não pode tirar foto nesse curso, não? Queria ver!!
Beijo.

Karen disse...

Acho que o "problema" é que as mães, no Brasil, voltam a trabalhar super cedo. Afinal lá não tem licença de um ano, como aqui :-) E estes cursos então seriam só frequentados por babás... Lembro que quando fazia natação com a Sophia em São Paulo eu e uma alemã eramos as únicas mães do curso! As outras eram babás, ou, no mínimo, eram mães com babás ajudando (algumas, por exemplo, para não estragar a escova mandavam as babás entrarem na água...).
Achei beeeem esquisito!
Ainda em Sampa, uma vez, no parque do Ibirapuera, uma babá veio falar comigo toda solidária: nossa, a senhora tem que trazer pessoalmente a neném pra brincar?! Quer que eu indique uma babá pra senhora?
Imagine a cena!!

Fotos ainda não tenho não, mas quando tiver mando!
Beijo!

Alessandra disse...

e'... tristemente a gente ta' com o foco meio trocado aqui no Brasil, especialmente em cidades grandes. Mas a midia (impressa, televisiva, internetiva) ajuda todo mundo a copiar esses "modelos" de maes cujo foco maior esta' no corpo, no trabalho, em manter o 'fogo' no casameno... ai' pros bebes na~o sobra muito, tadinhos!
E eu acho que parquinhos, cursos, etc, etc deveriam ser lei (mas aqui tb acontece de ser um pai's em que algumas leis "pegam" e outras n~ao)... Que desalentador!

Camilla Brandel disse...

Poxa, tadinha de mim. Tenho que levar o Nathan pessoalmente no parquinho! Quiabo surdo! E também estragar minha escova o levando na piscina! Assim não dá, preciso arrumar uma babá.
Que horror essas mães paulistas... Fala sério! A criança se apega tanto à babá que deve ficar deprimida na hora que ela vai embora. E quando demite, então?

Simone disse...

hahaha. Com almôndegas?? Essa foi boa, Karen.

Essa aulinha de bebês me lembrou de uma escola de música que eu levava Sofia, aqui em Belo Horizonte. Escola ótima. Tinha musiquinha da chegada, da saída, música pra hora do piano e o mais legal é que os pais participavam da aula. Uma graça a Sofia tãao pequenininha interagindo com os outros pequenininhos.

Sobre as mães que se privam desse momento e preferem deixar com a babá, eu realmente não entendo. Não consigo ver coisa mais gostosa do que essa interação com a Sofia. É uma pena que o meu tempo seja tão corrido, mas ainda assim eu arrumo jeito de criar rotinas com ela.

Bjs!!!