segunda-feira, 29 de julho de 2013

E o que mais me doeu....

Todo mês de julho Sophia costuma passar férias com seus avós paternos. Começamos quando ela tinha 2 aninhos.
Como a escolinha dela fecha por duas semanas no verão e naquele ano em especial eu queria guardar os meus últimos dias de férias para visitar meus pais no Brasil, tivemos a ideia de que deveriamos unir o útil ao agradável: permitir que Sophia passasse mais tempo com os avós, para que eles a conhecessem melhor e guardar meus últimos dias livres para eu pudesse tirar férias e Sophia passar mais alguns dias com seus outros avós.

Apesar da enorme dificuldade de deixar minha menininha tão pequenininha longe de mim (meus sogros resolveram levar a Sophia para uma praia não muito distante daqui), foi uma experiência muito bacana. Sophia ficou feliz de viajar com eles e de receber todos os mimos dos avós só pra si, eles se sentiram honrados por confiarmos neles a ponto de eles poderem viajar com a Sophia, marido e eu também aproveitamos para ir ao cinema, sair para jantar ou dançar e dormir até mais tarde no final de semana.

Desde então mantemos esta tradição das férias do verão com os avós. Por duas vezes ela já foi para a praia (uma das vezes com um priminho da mesma idade), uma vez para a Áustria e desta vez ela passou as férias na casa dos avós - que moram num paraíso infantil, no campo, com inúmeros animais e muita natureza.

E desta vez foi a primeira vez da Helena também. Do alto dos seus 2 aninhos lá foi ela passar 2 semanas juntamente com a irmã e os avós.

Ai, como foi difícil ficar sem as duas!! Claro que eu já sabia o que me esperava, mas nossa o "choque" por assim de dizer de ficar sem duas crianças é maior ainda :-)

Mas correu tudo bem, a experiência foi ótima, as duas voltaram entusiasmadíssimas (a Sophia inclusive já querendo voltar no outono!) e meus sogros felizes da vida por terem tido a companhia das duas por tanto tempo.

E engraçado que o que mais me doeu neste período, foi descobrir, quando me reencontrei com as meninas, que a Helena aprendeu a falar Sophia corretamente e eu não estava por perto para ouvir a primeira vez.

Uma das primeiras palavrinhas que ela aprendeu foi Baba, que era a forma como ela chamava a irmã, quando bebezinha. Depois aprendeu a falar "Ia", em seguida tivemos "Fia". Daí pulou para "Ofia" e, para minha surpresa, agora ela fala bonitinha "Sophia"... Não é lindo?

Lindo e triste, pois eu não ouvi a primeira vez.

9 comentários:

melissa disse...

Eu ainda não consigo ficar longe da minha filhota, mas acho muito importante o convívio com os avós.Sempre que posso vou pra MG, onde eles moram e ela aproveita muito!Bjs

Dani Rabelo disse...

Ai Karen, que dilema....
É bom pq é lindo ela falar Sofia, mas é ruim pq vc não estava perto...
Entendo bem. Infelizmente, eu não estive perto em vários "primeiros" da Laura, sei como é frustrante estar com elas e, de repente, ela se levanta, anda, pula, canta, dança... e eu penso "aonde estava? trabalhando?" é triste.
mas ao mesmo tempo, é muito bom saber que ela não precisa de mim para crescer, ela é outro ser-humano, ela é ela. E eu sou eu, com as minhas fragilidades e debilidades, bem do meu jeito frustrado de não estar presente na sua vida como eu gostaria...

Entendo totalmente a sua frustração e sua alegria.

Quanto a ficar fora, Laura ficou 3 dias na casa da minha sogra, em uma cidade a 100km daqui de SP, mas ela voltou tão magoada, triste, brava, irritada, que só me passou pela cabeça o fato dela ter ficado muito triste de termos deixado ela com os avós e que ela não entendeu o que aconteceu (que ela está em férias e ficar no interior é melhor do que ficar no ap sem fazer nada), mas ela voltou tão irritada, não falava comigo, chorava quando eu chegava perto... que nunca mais deixo ela sozinha em lugar nenhum. Já não basta eu trabalhar o dia inteiro, ainda lidei com a culpa de ter deixado ela com os avós e as tias no interior....
mas passou!
ufa.

beijos!!!!

Ingrid Gomes disse...

Aiii querida, que bacana, triste é claro por ter perdido um momento bacana da pequena, mas a vida é assim, né? Nem sempre podemos ter tudo!

Se meus sogros morassem mais perto e fossem pessoas mais dispostas eu tentaria numa boa deixar o pequeno só com eles, mas não é bem o caso.
Nessas férias eu notei que todo mundo aproveitou demais, que pelo fato do filhote estar maior, se fazer entender melhor, pra eles tá mais facil ficar sozinhos com ele, mas mesmo assim, tenho o pé atrás kkkk

Confio mais na minha mãe e minhas tias, com elas eu deixaria numa boa, mas essas estão lá do outro lado do oceano. =(

Acho importante esse contato, imagino que as meninas irão guardar boas recordações da casa dos avós. Infancia é isso! =)

Beijão e aproveitem a ida ao Brasil.

Nivea Sorensen disse...

Eu sou adepta e só não mando o Erik para os avós com mais frequência porque não é muito perto.
x

Dayane disse...

Passar férias com avós é uma delícia! E uma ótima folga pra mãe também. Eu bem que queria que meus sogros oferecessem uma viagem de férias com as meninas... hahaha Mas não posso reclamar, eles estão sempre dispostos a cuidar delas pra gente pegar um cineminha ou qualquer outra coisa.

Karen aqui vai a receita do bolo tal como sogra me passou. Pra falar a verdade eu não achei muito bom, mas todo mundo aqui gosta. Eu sempre achei o gosto dos americanos pra bolo estranho e como eu tava fazendo pra eles, fiz sem medo. hehehe Você pode provar e ver o que acha.

Crazy Chocolate Cake

3 Cups flour
2 Cups white sugar
6 Tablespoons cocoa powder
2 teaspoons baking soda
1 teaspoons salt
2/3 Cup vegetable oil
2 Tablespoons white vinegar
2 teaspoon vanilla
2 Cups cold water
1 egg

In mixer bowl, stir together the flour, sugar, cocoa powder, baking soda and salt. Add the water, vegetable oil, vinegar and vanilla and egg. Turn mixer on slow at first until all ingredients are moist, then speed up the mixer and mix for about 2 minutes. Pour into greased pan 9 x 13 inch in size (I usually spray with Pam that has flour mixed with it, or just Pam). Bake at 375 degrees for about 35 minutes. You can make this cake with no eggs but I like it better with the egg.

Camilla Brandel disse...

Ufa! Esses títulos das postagens sempre enganam a gente! Já fui ler pensando que algo ruim tivesse acontecido. :-)
E eu também não gosto quando perco as "primeiras vezes" dos meus filhos, sejam quais forem. Ainda lembro quando o Nathan era bebê, ia pra escolinha e uma das tias ousou vir me contar de um dentinho novo que tinha começado a nascer. Achei um absurdo!!!
Beijo.

Kathe disse...

Agora já está mais que na hora de vir passar férias com a outra vovó !!
Afinal, tive até que ir ao médico porque estou com uma dor crônica no braço, mais precisamente na altura do cotovelo !!

Arthur disse...

OI Karen,
sou jornalista e busco personagens para uma reportagem e gostaria de saber se você aceitaria participar. Quero falar com pais e mães que vivam fora do Brasil para saber como veem e como lindam com o contato de seus filhos à publicidade, mídias, etc nos países onde vivem.
Por favor, entre em contato comigo:
arthur@somostodosresponsaveis.com.br

Obrigado

Dani Rabelo disse...

Moça, cadê vc??????

Beijo grande e excelente 2014!!!!!