quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Três pra frente e um pra trás

Alguém mais tem a impressão que é assim que se dá o desenvolvimento infantil?

E nem estou falando da Helena, que é um bebezinho. Desta vez estou falando da Sophia.

Acho que a maioria dos pais prefere falar sobre a parte do "pra frente", eu não sou exceção. Mas na semana passada estava bem no meio de uma fase "pra trás" que andou me deixando ma-lu-ca! Como pode uma menina de apenas 3 anos enlouquecer seus pais desta forma?? E me enlouqueceu tanto que resolvi postar aqui, para dividir um pouco as minhas angústias com vocês. Se bem que agora, uma semana depois, já estamos numa nova fase boa :-)

Problema 1: o mau humor.
Sabe quando nada está bom? Nada mesmo? Então, estava assim. Sophia sempre adora quando levamos alguma coisinha para ela comer, quando a buscamos na escolinha. Já vem toda feliz perguntando: o que você trouxe? Mas nesta semana fatídica, nem tinha a pergunta, muito menos a felicidade. Aliás, eu estava sendo recebida com um: "você chegou muito cedo!" ou "porque você já chegou mamãe?" Nossa, que balde de água fria. 
Buscar a Sophia na escola sempre foi o highlight do meu dia. E semana passada estava sendo bem frustrante... Daí, para tentar animá-la eu contava o que tinha trazido: hoje trouxe melão (que ela AMA): não gosto de melão, eu queria uma bolacha. No dia seguinte: hoje eu trouxe bolacha, que você me pediu ontem. Não quelo bolacha, eca, cledo! Quelo balinha. Mais uma tentativa: hoje trouxe balinha! Mas eu queria pirulito! Balinha é incrível! 
Aí cometi o grande erro de rir, pois sabia que ela queria falar horrível e me saiu com este incrível... Pra quê... Quer ver uma menina brava? Ria da Sophia quando ela está mal humorada. Ai o que era mau humor virou fúria e fui desconvidada para o seu aniversário várias e várias vezes. E vocês sabem que este desconvidar para o aniversário é a pior ofensa possível, né?

Problema 2: a bicicleta
Para tentar distrair um pouco a minha adolescentinha fiz vários passeios (com mais ou menos sucesso junto ao meu eleitorado): levei-a ao zoológico, a vários parquinhos, brincamos aqui em casa, convidei as melhores amigas para nos visitar e, um dia, resolvi andar de bicicleta. Só que Sophia resolveu que não sabe mais andar de bicicleta sem rodinhas! Fez o maior escândalo, dizendo que não conseguia, sendo que ela já sabe andar sem rodinhas desde julho! E não teve como convencê-la do contrário. Lá foi o pai achar as rodinhas no porão e montá-las de novo. Andamos uma vez só com a bicicleta, desde que as rodinhas foram recolocadas, e ainda não sabemos se devemos dar a ideia de andar novamente, ou melhor esperar, se tiramos as rodas, ou se deixamos (alguma dica???).

Problema 3 (e o pior deles): o xixi
Sim, o xixi. Normalmente, quando se lê sobre ter um segundo filho, é comum vir a frase de que "devido ao ciúme algumas crianças voltam a fazer xixi na cama". Ou nas calças. Sophia não usa mais fraldas há um ano e meio e também tiramos a fralda noturna há um meio ano, mais ou menos. Não tiramos antes pois queriamos esperar a Helena nascer para o fazer, para não termos muitos acidentes. 
E eis que na semana passada todo dia a Sophia vinha com a calcinha um pouco molhada pra casa. Todo dia. E era só um pouquinho, só uns pinguinhos. No primeiro dia achei que tivesse sido um acidente, no segundo já fiquei um pouco irritada e no terceiro fiquei fazendo marcação cerrada, perguntando várias vezes se ela já tinha ido ao banheiro, se queria ir novamente, para os pinguinhos não acontecerem novamente. Mas eles aconteciam. Do nada ela me aparecia falando: mamãe fiz xixi na calça, mas são só uns pinguinhos, não faz mal, né?
Meu marido já começou a inventar umas teorias de que ela estava com algum problema urinário, que a bexiga dela deveria estar com algum problema de não conseguir reter a urina e blá, blá, blá.

Até que um dia, ou melhor, uma noite, ela fez xixi na cama. Detalhe: ela NUNCA tinha feito xixi na cama. Nenhuma vez. Novamente, pensei que tivesse sido um acidente, afinal nunca tinha acontecido antes e ela também tinha tomado bastante líquido naquela noite. Aí, fizemos o que se pode fazer nesta hora: tiramos a proteção do colchão, trocamos a roupa de cama, viramos o colchão e fomos dormir.
Só que depois de algum tempo, ela nos chama novamente, chorando, e quando fomos ver ela tinha feito xixi na cama de novo!! Desta vez não tinha proteção do colchão e o outro lado já estava molhado. Mas improvisamos, forramos com umas toalhas, trocamos novamente a roupa de cama e fomos pra cama pensando com mais afinco na teoria do problema urinário. 
Mas de manhã, falando com ela sobre o ocorrido, ela dispara: mas mamãe a Helena também faz xixi na calça e na cama, mamãe.... Pronto, mistério resolvido. Depois de 8 meses, quando você acha que o assunto "ganhei uma irmãzinha" está bem resolvido, o ciúme ataca novamente...

Confesso que fiquei arrasada. Fiquei morrendo de dó da minha filhinha tentando chamar a nossa atenção desta maneira. E desde então temos tentado compensar com mais carinho, com mais atenção, com mais beijo e abraço. 

E olhem só, não teve mais nenhum pingo de xixi na calcinha.

5 comentários:

Kathe disse...

Não sei bem como começar....
Primeiro, ri um monte no episódio do desconvite ( acho que essa palavra não existe, mas vai assim mesmo ) do aniversário, afinal eu também já passei por isso, e quanto a escolinha, talvez vc esteja chegando na melhor parte da brincadeira, sei como é aí, mas talvez deixa-la um pouco mais, sei que tem como, mas vcs é quem sabem.
Quanto ao xixi, eu até estranhei que ainda não tivesse acontecido antes, ainda lembro bem dos problemas na hora de dormir, o melhor mesmo, é carinho sem fim, e cansa-la ao ponto de ela mesma pedir para dormir, e também reclamar um pouco na frente dela, algo assim: oh não, a Helena fez xixi de novo... logo logo,vc vai crescer e fazer no peniquinho que nem a Sophia, que tal? Mas não muito, senão como eu conheço a Sophia, ela vai ficar brava com a Helena. bjs.

Lu disse...

Karen
haja paciencia né. Mas calma, te garanto que a coisa vai piorar. Espera ela fazer uns 13 anos daí vc vai ver. O Serginho sempre foi um doce comigo e ultimamente tem se tornado extremamente grosseiro, irritado, chato e mais um monte de coisas chatas. E eu estou tentando tirar uma calma do fundo do poco para conseguir contornar essa fase insuportável que se chama adolescencia.
bjs

Anônimo disse...

É Karen, as nossas meninas são realmente mulheres de fases. Complicadas e perfeitinhas, mas é assim mesmo...aqui em casa, por exemplo, é só o Marcelo viajar que ela fica um dooooce. Resultado: prefiro quando ele não está em casa (tadinho...)
No caso da Laura, tem horas que penso que um irmaozinho (a) pra ela seria um presente pois ela tem muita atencão de nós dois. Depois, quando penso melhor, acho que ela pode é PIRAR de vez rsrsrsrs.....
Mas o bom de tudo isso é que sabemos que isso sao fases que vão e vêm e assim também vamos aprendendo com elas. Tudo passa, tudo sempre passará!
Adorei as dicas da sua mãe.
Vi o video da Helena em outro post. Ela está uma fofura.
Beijos e saudades
Lu

Alessandra disse...

Olha, como já disseram vai piorar ainda... Mas como você já percebeu, depois melhora... Talvez exatamente nesse ritmo de três para frente e um para trás!
Acho que agora que a Helena vai começar a aprender "novos truques" e gracinhas, a Sophia vai realmente precisar de muito mais atenção e dengos, porque ela pode ficar se achando meio sem graça em comparação com a irmãzinha. A Glorinha às vezes dizia "mas a Alice é mais fofinha do que eu". Aí botava a gente elogiar e mostrar fotos dela quando bebê, vídeos e tudo mais. A gente buscava jogar a auto-estima dela lá em cima, dizendo as coisas que ela aprendeu a fazer primeiro e tudo mais (ela engatinhou antes, andou antes, etc...) e para nossa sorte, a Glorinha estava aprendendo a ler junto com a Alice prendendo a falar, então eu chamava uma de "minha pequena leitora" e a outra de "minha pequena falante".
Eu particularmente acho legal tentar estimular que ela fale o que está sentindo. No começo eu conversava mais e ela só ia respondendo sim ou não, "você ficou chateada com alguma coisa?", "você achou que a mamãe e o papai estavam brincando mais com a Alice?"... Hoje em dia ela já sabe expressar "Eu fiquei com ciúmes porque que vocês estavam dando mais atenção para a Alice" ou "Às vezes eu queria ser bebê de novo, igual à Alice"
Em conclusão, você vai ver que provavelmente vai piorar até a Helena parar de fazer tantas gracinhas novas, ou seja daqui a um ano e meio, mais ou menos!
Ah, e ainda vai começar toda a fase de "toy management", a Helena vai querer brincar com simplesmente tudo o que for da Sophia (os brinquedos das crianças maiores são sempre mais legais), que por sua vez, não vai ficar tão feliz assim com isso!

Carol P disse...

Oi!
Conheci seu blog no MMQD tambem participei do especial, soh que escrevi sobre Londresm que eh aonde eu moro.
Buscar na escolinha ultimamente tem gerado stress para mim, nem sempre posso pegar ela. Entao nos dias que vou saio enlouquecida e chego lah e volta e meia rola ataques, para colocar o casaco, para ir embora, para entrar no carrino e por ai vai. Chego na porta e ja sei o que me espera, bons dias e maus dias, mas vejo que nao eh soh comigo, as outras criancas tambem fazem as memsmas coisas, e menos mal que nao eh todo o dia, mas haja paciencia.
bj Carol