terça-feira, 18 de junho de 2013

Nó na garganta

Vim aqui, na verdade, para continuar o meu desafio musical, mas tem como escrever sobre música com tanta coisa acontecendo Brasil afora? Eu, sinceramente, não consigo.
A verdade é que mal estou conseguindo me concentrar no trabalho. Fico me policiando para não ver os novos links, as novas fotos e as novas notícias sobre as manifestações que chegaram até mim. Sim, pois hoje houve protesto até mesmo aqui em Hamburgo.

E a cada nova notícia me emociono com a coragem das pessoas, com a vontade de protestar por seus direitos, com o orguho de estar tentando fazer do nosso país um lugar melhor pra todos.

Me lembro dos meus dias em que também acreditava que podia mudar o mundo. Sou da geração cara pintada, que, sem saber muito bem o que estava fazendo, se estava sendo manipulada pela mídia ou não, saiu pelas ruas para pedir impeachment para o presidente Collor. Depois disso, quando entrei na faculdade, entrei para o centro acadêmico, entramos numa disputa para a UNE, perdemos e vimos na pele como a política já influencia os acontecimentos dentro de uma universidade. Até mesmo uma universidade sem tanto prestígio, como a minha.

O que ficou destes dias foi a certeza de que mudanças não ocorrem sem que haja muita luta. Os alemães costumam dizer: "von nichts kommt nichts" (nada surge do nada) e não por acaso o lema que escolhemos lá atrás, para a nossa campanha, foi "Ação e Reação".

Hoje, com estas novas manifestações ocorrendo no país, me alegro por muitas pessoas estarem experimentando este gostinho de mudança pela primeira vez. Este gostinho de tentar traçar os próprios destinos e de estarem tentando mudar o mundo. J

á vi muita gente reclamando do slogan #acordaBrasil, dizendo que os protestos já aconteciam anteriormente, mas ninguém notava ou se importava com eles. Sim, claro que os protestos já aconteciam, mas porque se incomodar com isso? Não é bom e positivo que mais pessoas estejam dispostas a ir para a rua? Não é bom que sejamos mais e não uns poucos incomodados? Não é bom sentir este pipocar de indignação brotando no peito de todos os brasileiros?

E quanto ao foco "reaça" ou não de tanto protesto. Aqui, para mim, é que reside o grande problema. Pois ainda que os protestos tenham começado pelo aumento das passagens, ninguém pode esperar, realmente, que agora as passagens no Brasil inteiro sejam realmente livres. Que todos possam utilizar transporte público gratuitamente. Então, cada um começou a fazer uma interpretação pessoal do que precisa ser melhorado no país: precisamos melhorar a educação, a saúde, a segurança pública, a infraestrutura, precisamos reduzir os gastos públicos, os cargos comissionados, a corrupção, os gastos com a Copa e as Olimpíadas, até acabar em pessoas que estão querendo o impeachment da Dilma.

Acho que o país esperou tanto tempo que temos agora uma infinidade de coisas pelas quais protestar. Tantas que acabamos correndo o risco de acabar não ganhando nada por termos perdido o foco dos nossos protestos.

Espero muito que cheguemos logo a um consenso e consigamos escolher um tema de cada vez para os nossos protestos. Espero que estas briguinhas tolas sobre a direita e a esquerda do movimento não ofusquem a vontade real de um povo de lutar por mudanças para todos. E espero que esta onda de indignação não se cale sem antes ter atingido pelo menos um único alvo que beneficiará a todos nós.


5 comentários:

Dayane disse...

Muito bem colocado Karen. Falta mesmo um foco, mas são tantos os pontos a serem protestados. Eu não concordo com o protesto do passe livre, acho a idéia ilusória demais. Mas apoio totalmente essa reação, essa vontade de lutar que brotou nos brasileiros. Espero de coração que não parem até que consigam mudar algo.
Beijos, bom ter você de volta aqui. ;)

Ingrid Gomes disse...

É isso ai, o povo atendeu o pedido que foi feito na semana passada. Quando estavam apanhando pediram pra que mais gente de juntasse, vi ate apelos pra torcidas organizadas, movimento sem terra e afina, ai agora nego vem com papo de que essa nova massa de manifestantes é vazia?

Pediram pro povo ir pra rua, o povo foi, agora bora mostrar pra esse povo oque fazer, bora informar, dialogar.

Beijao, querida.

Dani Rabelo disse...

Karen, concordo totalmente.
Concordo que dá muito orgulho de ver todos na rua, eu choro quando ouço o hino, quando vejo vídeos das manifestações...
Concordo ainda mais que teremos que ter FOCO, saber o que pedir, pelo quê protestar.
Conseguindo isto, é só continuarmos nesta tocada linda,
Beijos!

Alessandra disse...

Ai, amiga será que é a idade? Essa mobilização toda só me leva a dois sentimentos: nostalgia ("Até bem pouco tempo atrás/ poderíamos mudar o mundo/ quem roubou nossa coragem?") e indagação. Sei que motivos não faltam para protestar e confesso que minha primeira reação foi ter uma pontinha de esperança, mas desde o início dos protestos e da cobertura super contraditória dada pela mídia, além de relatos em primeira mão de quem está participando das manifestações nas capitais, minha impressão é que há alguma peça faltando neste quebra-cabeças.
Da mesma forma que o movimento cara pintada não surgiu assim que o Collor foi lá e sequestrou as economias de todo mundo, agora também me parece que este movimento está fora de hora. Será que não apareceu justamente quando a oposição, não tendo um candidato popularmente à altura de derrotar a presidenta não viu uma brecha no momento em que houve a divulgação dos índices econômicos desfavoráveis (de inflação, principalmente). Já houve momentos beeeem piores, agora a economia está em quase pleno-emprego, os bolsa-tudo juntamente com a economia aquecida estavam deixando todo mundo "felizinho", para completar, estávamos a poucos dias do inicio da Copa das Confederações - e você sabe o valor do futebol, da 'Seleção', nesse país...
Não me leve mal, você me conhece bem e sabe que defendo a teoria do "antes tarde do que mais tarde/ nunca"... Além disso, sempre acho que ficar sentado reclamando não leva a nada. Apóio as manifestações e explico para as meninas que as pessoas estão representando todos nós e pedindo coisas melhores para nossa cidade e nosso país. Só acho que há interesses muito grandes e muito escusos por detrás disso tudo. Triste desconfiar disso quando todo mundo parece tão animado e esperançoso, né?
Enfim, vou fazendo a minha parte e tentando ser e formar duas novas boas cidadãs, do tipo que não cortam filas, respeitam as leis de trânsito mesmo quando parece mais fácil não fazê-lo, escrevendo para empresas (com frequência) e órgãos públicos (com muito menos frequência do que deveria?) sobre situações em que meus direitos foram feridos, etc, etc.
Será que algo disso conta? Será que se o Brasil ganhar a copa no ano que vem a Dilma não vai se re-eleger mesmo depois de todas as manifestações, bilhões gastos e tudo mais?
Os jovens estão esperançosos, eu, que já estive assim, nas ruas há mais de 20 anos, estou pensando se não sou mais tão jovem ou simplesmente aprendi a viver sem esperança...

cris chabes disse...

Ola meu nome é Cristina. Sou parte da Equipe do http://www.recantodasmamaesblogueiras.com/. Visitei seu blog e adorei o post. Estou indicando você para o TOP FIVe que vai ao ar no dia 30/06. Passe lá para conferir. Beijocas