quinta-feira, 6 de junho de 2013

30 Day Song Challenge - Dia 4

Eis que cheguei ao quarto dia do meu desafio musical com uma missão difícil, falar de uma música que me deixa triste sem chorar. Já falei no meu último post musical que eu gosto de música triste. Gosto de música gritada, dessas que parecem sair do âmago da pessoa. Destas que te fazem refletir.

Confesso que também sou uma pessoa que precisa chorar de vez em quando. Parece que dá aquela limpada na alma. Sou meio dramática por natureza e acho que chorar me liberta. Não sou de guardar rancor, então não vou ficar pensando mal de alguém a vida toda, se este alguém pisar na bola comigo. Mas a minha primeira reação ao me sentir chateada/magoada/triste/frustradíssima/confrontada é chorar. Algumas lágrimas depois já está tudo certo.

Também me emociono fácil, confesso. Choro com comercial, choro quando minhas filhas falam algo fofo, choro de saudade, choro de alegria, choro de rir, choro de dor e de tristeza. E, por vezes, nos meus momentos mais insanos, coloco músicas que me fazem chorar, porque me fazem lembrar de situações ou pessoas que passaram pela minha vida.

Nestes momentos tenho várias músicas que me deixam triste, justamente por me fazerem lembrar de coisas ou pessoas. Mas uma delas é especial, uma delas me faz lembrar tanto de amores passados, amores presentes, família e amigos ao mesmo tempo. Ela me faz querer estar junto daquelas pessoas, de estar sonhando com o futuro, de fazer planos para um futuro que nunca virá.

Dia 4 - uma música que me deixa triste:



3 comentários:

Alessandra disse...

Estou amando essa sua volta!
Com o prazer conjugado dos seus bons textos com boa música então... Tudibão!

Nivea Sorensen disse...

Eu sou chorona também, Vento no Litoral também me dá uma certa tristeza, mas uma coisa boa ao mesmo tempo, sabe? Se é que isso faz sentido.
x

Babisenberg disse...

Nossa, Karen,comigo também é assim, nem sempre são músicas tristes, mas que me lembram pessoas, momentos e trazem lembranças( não necessariamente ruins). Acho que é uma coisa meios nostalgia, será?!

bejo